Cidadãos e entidades apoiam propostas do Câmara + Barata

Por OS Brasília17 de janeiro de 2018Comentar

Mais de 100 pessoas compareceram, nesta terça, ao lançamento do movimento Câmara + Barata, que tem como objetivo coletar pelo menos 30 mil assinaturas de apoio a um projeto de lei popular para reduzir as despesas da CLDF em cerca de R$ 300 milhões em quatro anos. Praticamente todos os presentes subscreveram o projeto.

O presidente da CLDF, Joe Valle, que participou do evento apresentando dados de gestão da Casa, também assinou a ficha de apoio ao projeto. Carlos Alves Moura, diretor do MCCE, rede que liderou a mobilização pela Lei da Ficha Limpa, disse confiar na participação da população do DF.

De acordo com a Lei Orgânica do DF, um projeto de iniciativa popular deve ser assinado por 1% do eleitorado local (cerca de 20 mil pessoas), para tramitar na Câmara Legislativa.

O projeto prevê a extinção da verba indenizatória, que teve alocados R$ 7,3 milhões no orçamento da Casa em 2017; a redução da verba de gabinete, estimada num total de quase R$ 72 milhões por ano; e a redução dos gastos com publicidade institucional, previstos em R$ 26 milhões para 2017 (a CLDF informa ter empenhado efetivamente R$ 21,4 milhões).

O coordenador-geral do Câmara + Barata, Guilherme Brandão, ressaltou que as medidas propostas não prejudicam o exercício do mandato parlamentar e têm como base práticas de outras Assembleias Legislativas e também do Congresso Nacional. O pacote de propostas inclui também regras para aumentar a transparência e o controle sobre os gastos da CLDF.

As assinaturas serão coletadas com apoio de entidades e lideranças, bem como em ações específicas, a serem divulgadas pela coordenação do movimento, a cargo do Observatório Social de Brasília e do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC).

Os cidadãos e entidades que quiserem ajudar podem obter cópias das fichas em www.camaramaisbarata.com. No site estão também os detalhes de cada proposta de economia.